Vegetarianismo

Fotógrafa de 16 anos inpressiona com auto-retratos inspirados em frutas

CristinaOtero_01

Com apenas dois anos e meio de experiência, a fotógrafa espanhola de 16 anos Cristina Otero nos cativa com estes seus auto retratos  em zoom.

Usando frutas como inspiração numa série entitulada Tuti Fruti, Cristina foge das noções convencionais de beleza feminina e interage com diferentes frutas numa perfórmance sedutora para sua câmera.

 

Fonte: http://www.mymodernmet.com/profiles/blogs/cristina-otero-tutti-frutti-self-portraits?ref=nf
Tradução livre Guia Vegano

{gallery}fruitfaces{/gallery}

  • Acessos 5707

Tripoli e SVB organizam seminário sobre merenda vegetariana na Câmara Municipal

“Mais um sonho realizado”. Foi assim que o vereador Roberto Tripoli descreveu o 1º Seminário da Merenda Escolar Vegetariana. O evento, organizado pela Sociedade Vegetariana Brasileira, aconteceu no dia 16 de abril, no Auditório Prestes Maia da Câmara Municipal de São Paulo e reuniu mais de 200 pessoas de diversas cidades do Brasil para debater a alimentação vegetariana como opção saudável, sustentável e ética para alunos de todas as faixas etárias e, também para apresentar fundamentação, experiências e estudos de caso sobre o tema.


A partir da esquerda: Veterinário Wilson Grassi, Sr. Daniel Guth, Vereador Tripoli,
Marly Winckler e Secretário Eduardo Jorge

A introdução do cardápio vegetariano nas escolas do município começou em 18 de novembro de 2011 e resultou de gestões realizadas por Tripoli desde 2009. Uma vitória que, para ele, foi um passo fundamental para iniciar as discussões em torno da redução do consumo de carnes nas escolas. Atualmente são servidas 1 milhão e oitocentas mil refeições às crianças das escolas e também das creches municipais.

A iniciativa de Tripoli ganhou rapidamente a parceria da Sociedade Vegetariana Brasileira e atualmente conta também o apoio da Secretaria Municipal de Educação e da Secretaria Municipal do Verde e Meio do Ambiente. “Apesar de achar que ainda estamos atrasados na questão do vegetarianismo, acho que São Paulo saiu na frente, pois já conseguimos uma grande conquista com a participação de duas Secretarias”, ressaltou o vereador.

O Seminário começou a ser organizado em dezembro do ano passado, após a uma reunião entre o vereador Tripoli e Marly Winckler, presidente da Sociedade Vegetariana Brasileira e da União Vegetariana Internacional. “Levamos quase 5 meses discutindo e organizando e hoje conseguimos reunir pessoas de todo o Brasil para falar e ouvir sobre o tema, por isso digo que estamos realizando mais um sonho”, relatou Tripoli. “É muito importante que isso aconteça aqui, pois São Paulo é o tambor do Brasil, então se estamos conseguindo equacionar esse tema levando para debate, certamente isso vai ter repercussão no país todo”, completou Winckler.

Durante o evento, o Secretário Municipal do Verde e do Meio Ambiente Eduardo Jorge, presente na mesa de abertura, afirmou que a dieta vegetariana deve ser vista como uma exigência ambiental e ressaltou: “E é uma exigência ambiental das mais importantes para ao planeta, pois além de suas virtudes já tradicionais de benefício para Saúde Pública e sua abstenção de causar sofrimento nas outras espécies de seres vivos, diminui o desmatamento para o uso de terras para criação de gado para consumo humano, uma das grandes causas da crise climática e do aquecimento global”, disse.


Seminaristas fazendo perguntas ao Dr. Eric Slywitch

Representando a Secretaria Municipal da Educação, Daniel Guth, vegetariano há 10 anos, relatou que tem atuado diariamente para que a introdução do cardápio vegetariano vá além da Rede Municipal. “Além da alimentação vegetariana, temos discutido a redução de alimentos com gordura trans e sódio. Queremos diminuir o índice de obesidade das crianças e também melhorar a saúde delas. Trabalhamos diariamente dentro da Rede Municipal de Educação para que isso seja cada dia maior e tenha cada vez mais impacto na sociedade”, afirmou.

Ao longo das 7 horas de duração, o seminário trouxe à tona temas como:
Merenda Vegetariana do Ponto de Vista Nutricional; Segurança Alimentar e Alimentação Vegetariana; Posição do Conselho Regional de Nutricionistas sobre Alimentação Vegetariana; Produção das Refeições Vegetarianas no Restaurante Universitário da Universidade de Brasília; e também a palestra Principais Zoonoses Ligadas ao Consumo de Carne, apresentada pelo veterinário Wilson Grassi, que além de palestrante, faz parte da organização do evento e da concepção do projeto do vereador Tripoli. Também presente na mesa de abertura, Grassi falou sobre sua satisfação em fazer parte de tais conquistas: "Participar da organização de um evento como este é uma grande honra para mim, inclusive pelo ineditismo deste debate em um parlamento de uma cidade como São Paulo”.
O evento também contou com o apoio Conselho Regional de Nutricionistas SP – MS e da Universidade de Brasília.

Segundo Marli Winckler algumas barreiras vem sendo derrubadas, mas ainda há algumas “pedras no caminho” do vegetarianismo. “Há o desconhecimento por um lado e por outro há uma cultura, um hábito arraigado e é exatamente isso que a gente está querendo debater”, afirmou a presidente da SVB.

E apesar de seu projeto ir de “vento em popa”, o vereador Roberto Tripoli ainda acha que há muito para fazer: “O que aconteceu aqui hoje foi muito positivo e estou muito feliz, mas espero que esse evento não seja apenas mais um seminário, e sim que daqui saiam propostas concretas para que possamos desenvolver na cidade de São Paulo e em todo o Brasil”, finalizou Tripoli.



Fotos: Elaine Paiva

Fonte: www.vegetarianismo.com.br

  • Acessos 4470

Manual vegetariano para carnívoros

Listamos pratos sem carne tão saborosos que você nem vai sentir falta do bife durante a refeição

por Ernesto Neves : Veja Rio

A preocupação dos cariocas com a saúde popularizou, nos últimos anos,  os restaurantes especializados em comida natural. São estabelecimentos em que carnes, frituras e açúcar refinado não entram no cardápio, e os carros-chefes são saborosas misturas de legumes, produtos à base de soja e verduras. Apesar do público ascendente, as casas vegetarianas ainda sofrem com o preconceito de quem acha fundamental ter um bife no prato. Para mudar essa ideia, listamos pratos naturais que, além de saudáveis, são uma delícia.


1- Almôndega de soja com castanha de caju. No Natural do Recreio, que tem serviço por quilo (R$ 30,90 durante a semana e R$ 33,90 sábado e domingo), o salgado faz sucesso, assim como o quibe de abóbora e a camponata de berinjela.

Onde provar: Avenida Ailton Henrique da Costa, 459, Recreio, tel. 2486-8158.

2- Crepe de cogumelos. Macio, é preparado ao molho pesto, acompanhado por  salada de tomate cereja, laranja, hortelã, cenoura, beterraba e amaranto germinado e sai a R$ 25,90 no Universo Orgânico. Para manter os nutrientes e o sabor, a casa se baseia no conceito de culinária viva e cozinha os alimentos em temperatura sempre abaixo dos 40°C.

Onde provar: Rua Conde de Bernadote, 26, lojas 105 e 106, Leblon, tel. 3874-0186.

3-Quiche de tomate seco e tofu. Receitas saborosas são preparadas sem ovo leite ou glúten pelo restaurante Biocarioca, que serve o delicioso quiche (R$ 8,00). Nas quartas e sábados, a pedida é a feijoada vegetariana (R$ 20,90).
Onde provar: Rua Xavier da Silveira, 28, Copacabana, tel. 2236-4125.

http://vejario.abril.com.br/imagem/2012/vjrio2261/universo.jpg
Universo Orgânico:
crepe de cogumelos ao molho pesto acompanhado de salada de tomate cereja, laranja, hortelã, cenoura, beterraba e amaranto germinado

4- Moqueca de abobrinha com cogumelo. Com apenas 19 calorias por 100 gramas e rica em vitaminas do complexo B, que combatem o estresse a fadiga, a abobrinha é base para a moqueca (17,50) servida pelo Vegan Vegan. Chega à mesa acompanhada por iscas de legumes e arroz integral, e uma sopa ou salada.

Onde provar: Rua Voluntários da Pátria, 402 - loja B, Botafogo, tel. 2286-7078.

5- Hambúrguer de quinoa. Riquíssimo em proteínas, ferro e cálcio, o grão importado do altiplano andino é base para o sanduíche (R$ 18,20) servido pelo .Org. Vem com molho de mostarda e mel, cebola caramelada, alface e tomate no pão de hambúrguer integral.

Onde provar: Avenida Olegário Maciel, 175, Barra, loja G, tel. 2493-1791.

6- Bobó de shiitake com palmito. Incorporado da culinária oriental, o cogumelo é rico em proteínas e aminoácidos, e vem acompanhado de palmito orgânico, livre de agrotóxicos. Disponível no restaurante Refeitório Orgânico, em que é possível montar um prato com até 5 porções de comida (R$16,00).

Onde provar: Rua dezenove de fevereiro, 120, Botafogo, tel. 2537-0750.

7- Panqueca recheada de abóbora com shimeji. Coberta por molho pesto, é um dos pratos que mais fazem sucesso no restaurante Vegana Chácara. No estabelecimento, o menu é formado por entrada (sopa ou salada), prato principal e legumes servidos em dois tamanhos (R$ 17,50 meio, R$ 23,00 inteiro).

Onde provar: Rua Hans Staden, 30, Botafogo, tel. 8799-7078.

8- Risoto de cogumelos. Leve, o prato do restaurante Cria da Terra pode ser acompanhado pelo bolinho de quinoa com legumes ou o tofu grelhado com mix de gergelim. O bufê da casa sai a 54,90.

Onde provar: Rua Visconde de Pirajá, 330 - loja 203, tel. 2247-7090.

9- Feijoada vegana. Servida quartas (R$ 26,00) e domingos (R$ 28,00)  pelo restaurante Vegetariano Social Club, é tão saborosa quanto a de preparo tradicional. Essa, no entanto, está livre de carnes gordurosas e leva tofu e proteína de soja. Outra dica de prato no estabelecimento é o bobó de shitake (R$ 26,00).

Onde provar: Rua Conde de Bernadotte, 26 - loja L, Leblon, tel. 2294-5200.

 

feijoada-vegana
Feijoada do Vegetariano Social Club: servida todas as quartas e sábados

  • Acessos 7933

Lançamento do livro "Guia do Herbívoro Feliz"

Mais um livro dedicado exclusivamente a alimentação vegetariana vegana, desta vez com uma proposta de venda diferente e bem acessível ao público em geral. Vale a pena conferir a postagem de Sandra Guimarães do blog "Papacapim" que reproduzimos abaixo.

rabanete

Chega de guardar segredo, preciso dividir uma novidade com vocês. (fecha os olhos, respira fundo e lá vai) Estou escrevendo um livro de receitas.

Tudo começou alguns meses atrás, quando Júlio, um leitor muito querido, disse que eu devia escrever um livro e que se eu quisesse ele passaria o meu contato pra uma amiga que trabalhava em uma editora. Eu mentiria se dissesse que nunca pensei em escrever um livro. A primeira coisa que eu quis ser na vida foi escritora e aos 14 anos decidi começar minha carreira literária escrevendo a continuação do meu livro preferido, “Ciranda de pedra”, pois o final da história não me agradava. Claro que Lygia Fagundes Telles não estava a par dessa audácia. Felizmente nunca passei da primeira frase e minha carreira de escritora foi interrompida antes mesmo de ter começado. Não tenho talento pra escrever ficção. mas a vontade de escrever nunca foi embora e ficou ainda mais intensa desde que comecei o blog. Vocês devem ter percebido que contar causos me diverte tanto quanto criar receitas. Então eu disse a Júlio que sim, sim, gostaria de escrever um livro, só faltava encontrar alguém que me achasse competente o suficiente pra esse trabalho. Poucos dias depois recebi um email de Cristina da Caki Books dizendo que tinha adorado o blog e perguntando se eu topava escrever um livro. Primeiro eu caí da cadeira, depois levantei e respondi fingindo que aquilo era a coisa mais banal do mundo “já que você insiste…” Desde então venho trabalhando nesse projeto.

O livro vai se chamar “Natural e Vegetal” e a proposta é mostrar que natural não significa “natureba” e que não é preciso escolher entre adotar uma alimentação saudável ou desfrutar dos prazeres da mesa: é possível ter os dois ao mesmo tempo.  Estou reunindo minhas melhores receitas, quase todas inéditas (algumas já apareceram aqui), criando novas e fazendo as fotos que ilustrarão o livro também. Se tudo correr como o planejado ele será publicado em abril (e-book e versão impressa sob comanda) e tentarei postar notícias sobre o livro daqui até lá. Mas não precisa esperar até abril pra ler um livro escrito por mim. Aqui vai a outra novidade: acabo de escrever um livro. Explico.

Fazia um tempinho que pensava em reunir os melhores textos publicados aqui no blog e criar algo que pudesse ajudar pessoas pensando em se tornar vegetarianas/veganas e novos vegs precisando de informações sobre o assunto. Desde que comecei a escrever o livro “Natural e Vegetal”, que a partir de agora vou chamar de N&V pra ficar mais curto, me deparei com o seguinte problema. Preciso criar receitas e testá-las várias vezes, o que significa comprar uma quantidade importante de ingredientes, além de comprar material pra fotografia (pratos, utensílios de cozinha etc) e, o mais importante, tive que parar meus únicos trabalhos remunerados pra poder ter tempo de realizar esse projeto. Acabaram-se os jantares no meu “restaurante ocasional” e as aulas de Francês e agora voltei a ter zero salário. Foi aí que a ideia de reunir uma parte do conteúdo do blog em um mini livro me pareceu ainda mais oportuna. Senhoras e senhores, e aqueles que ainda não se decidiram, tenho o prazer de apresentar o “Guia do herbívoro feliz”.  Ao invés de explicar do que se trata, vou mostrar o sumário do livro pra vocês saberem exatamente o que vão encontrar nele.

Introdução

• O que é o guia do herbívoro feliz?

• Por que herbívoro?

• Quem é quem: tipos de vegetarianos

1- Por onde começar

• Primeiros passos

• Sobrevivendo em uma família onívora

• Se prepare pra enfrentar o mundo onívoro: herbívoro fora de casa

2- Na prática

• A despensa do herbívoro

• Equipe sua cozinha

• Como substituir leite, creme, manteiga e ovos e veganizar qualquer receita

• Como preparar:

-Leguminosas

-Cereais

-Legumes

3- Colocando a mão na massa

• Leite, creme e queijo vegetal

• Café da manhã

• Pratos principais

• Saladas, molhos e pastas

• Sopas

• Doçuras

4- Princípios básicos de nutrição vegana

• Onde encontrar proteína, ferro, cálcio, ômega 3 e B12

• Como compor um cardápio vegetal equilibrado

5- Perguntas frequentes e mitos sobre veganismo

O guia é um e-book de 78 páginas e trata unicamente da questão da alimentação vegetal (por isso é o guia do “herbívoro” feliz e não do “vegano” feliz), com dicas pra sobreviver nesse mundo onívoro em que vivemos, tudo o que você sempre quis saber sobre nutrição vegana, respostas pras perguntas que vegs escutam com mais frequência e 32 receitas (algumas básicas, outras mais elaboradas, mas todas já foram publicadas aqui). Como expliquei mais acima, o livro reúne o conteúdo mais útil e interessante do blog, mas tem também algumas partes inéditas.

O “Guia do Herbívoro Feliz” vai te ajudar a desvendar todos os mistérios da alimentação vegetal, a fazer escolhas alimentares conscientes e fornecer ferramentas pra você transformar sua cozinha e começar a preparar comida boa pro corpo e pras papilas. Com um bônus: a possibilidade de apoiar o meu trabalho. O “Guia do Herbívoro Feliz” pode ser seu por… você escolhe. Quero que meu mini guia seja acessível a todos, então ele não tem preço fixo, cada um dá o que puder/quiser.

A coisa funciona assim:

-você escolhe entre dois tipos de pagamentos: paypal ou depósito na conta do Banco do Brasil.

-você decide quanto quer dar pelo livro. Não tem mínimo nem máximo, aceito qualquer valor entre 1 e 1 milhão.

-depois de ter feito o depósito via paypal ou diretamente no banco, envie um email pra Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. dizendo simplesmente: “Quero o meu livro”.

-assim que receber seu email enviarei o livro (arquivo pdf).

-todo mundo fica feliz.

Pagamento no paypal.com.br: depósito no email Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. (não se assuste, vai aparecer o nome do meu irmão – eu não tenho conta no Brasil e ele está me emprestando a dele). Não sabe o que é paypal? Descubra aqui.

Depósito no Banco do Brasil

Agência 1668-3

Conta Corrente 24281-0

Titular da conta: José Paulo S. de Carvalho

fonte: http://papacapimveg.com/

  • Acessos 5749

Parecer do CRN-3 sobre Dietas Vegetarianas – como surgiu

Parecer do CRN-3 sobre Dietas Vegetarianas – como surgiu

 

Há sete anos o Dr. Eric Slywitch, médico nutrólogo, coordenador do Departamento de Medicina e Nutrição da Sociedade Vegetariana Brasileira - SVB, participa como palestrante do Congresso de Nutrição Humana, Ganepão (um dos maiores da América Latina). Desde 2009, ele coordena uma sessão voltada exclusivamente ao vegetarianismo, sobretudo o aspecto nutricional.

 

No ano de 2011, a SVB foi oficialmente incorporada a essa sessão.

 

No dia 15 de junho de 2011, a palestra ministrada pelo Dr. Eric Slywitch abordou o tema: “Dietas sem proteínas de origem animal: há algum problema com a adequação de aminoácidos?”. Nesse mesmo evento estava presente o Coordenador do Departamento de Meio-ambiente da SVB, Guilherme Carvalho, que abordou o tema “Meio-ambiente e consumo de carne: qual é a relação?”.

 

A presidente dessa mesa redonda era a então presidente do Conselho Regional de Nutrição, CRN-3, Dra. Beatriz Tenuta que, após a apresentação, convidou o Dr. Eric Slywitch para participar de um Projeto oficial do CRN-3 chamado “Ponto e Contra Ponto”, que tem por objetivo esclarecer os profissionais nutricionistas sobre assuntos considerados polêmicos na nutrição.

 

No dia 25 de agosto de 2011, o Dr. Eric compareceu ao CRN-3, com os representantes técnicos do próprio CRN-3, assim como representantes da APAN (Associação Paulista de Nutrição) e do Sindicato dos Nutricionistas. Na apresentação, havia uma nutricionista para fazer um contra-ponto sobre as dietas vegetarianas.

 

Após as apresentações, ficou decidido que seria elaborado um parecer oficial do CRN-3, que consta abaixo na sua íntegra. Para a elaboração desse parecer técnico, o Dr. Eric Slywitch produziu um documento oficial com mais de 40 páginas (sem contar as referências bibliográficas) com toda a fundamentação científica do vegetarianismo, ensinando, detalhadamente, como o profissional nutricionista deve prescrever a dieta vegetariana com segurança. Desse documento, em conjunto com o que foi discutido em reunião, foi elaborado o resumo (abaixo) que foi enviado para todos os nutricionistas vinculados ao CRN-3.

 

A SVB se orgulha de ter seu representante oficial, coordenador do Departamento de Medicina e Nutrição à frente de tal projeto e acredita que o documento elaborado é um marco para a sedimentação do vegetarianismo em todo país, pois dá mais ferramentas para que o público e os profissionais de saúde possam adotar o vegetarianismo como uma alimentação e um estilo de vida saudável e seguro.

 

banner_newsletter

 

cestaPARECER CRN-3

Vegetarianismo

O Conselho Regional de Nutricionistas – 3ª Região, dando continuidade ao Projeto “Ponto e Contra Ponto”, para discussão de diversos temas polêmicos e de interesse para a atuação do nutricionista, divulga o resultado das discussões sobre Vegetarianismo, quando profissionais analisaram as questões nutricionais, sociais e culturais inerentes ao tema.

 

Nesta discussão, destacaram-se as seguintes considerações:

 

– os seres humanos são animais onívoros que podem consumir tanto os produtos de origem animal como vegetal. Por sua natureza biológica, o homem pode comer o que quiser. As vicissitudes ambientais, associadas à pulsão de vida vêm determinando as alterações evolutivas nos costumes alimentares;

 

– vegetariano é aquele que exclui de sua alimentação todos os tipos de carne, aves e peixes e seus derivados, podendo ou não utilizar laticínios ou ovos;

 

– a alimentação vegetariana é praticada, atualmente, por diversas razões - científicas, ambientais, religiosas, filosóficas, éticas. Estudos científicos demonstram que é possível atingir o equilíbrio e a adequação nutricional com dietas vegetarianas- ovolactovegetarianas, lactovegetarianas, ovovegetarianas e até veganas, desde que bem planejadas e, se necessário, suplementadas;

 

– a dieta vegetariana estrita (vegana) não apresenta fontes nutricionais de vitamina B12, que deve ser fornecida por meio de alimentos fortificados ou suplementos. Os elementos que exigem maior atenção na alimentação do ovolactovegetariano são: ferro, zinco e ômega-3. Na dieta vegetariana estrita deve haver atenção, além de vitamina B12, para cálcio e proteína;

 

Diante destas considerações, o CRN-3 RECOMENDA aos nutricionistas para que estejam atentos ao seguinte:

1) Qualquer dieta mal planejada, vegetariana ou onívora, pode ser prejudicial à saúde, levando a deficiências nutricionais.

2) As dietas vegetarianas, quando atendem às necessidades nutricionais individuais, podem promover o crescimento, desenvolvimento e manutenção adequados e podem ser adotadas em qualquer ciclo de vida.

3) Indivíduos com distúrbios alimentares (anorexia nervosa, bulimia, ortorexia e outros), em algum momento da evolução da doença, estão sujeitos a adotar dietas restritivas de qualquer tipo, vegetarianas ou não e devem ser avaliados nesse contexto.

4) A adequação nutricional da dieta vegetariana estrita (vegana) é mais difícil de atingir e exige planejamento e orientação alimentar cuidadosos, incluindo suplementação específica.

 

Ao nutricionista cabe orientar o planejamento alimentar dos indivíduos, visando à promoção da saúde, respeitando as individualidades e opções pessoais quanto ao tipo de dieta. Aspectos biológicos, psicológicos e socioculturais da relação entre o indivíduo e os alimentos devem sempre ser considerados, no processo da atenção dietética.

 

 

CRN-3
Colegiado

 

Av. Brigadeiro Faria Lima, 1461, 3º andar, Torre Sul - Jd. Paulistano
São Paulo - SP

Fonte: SVB
  • Acessos 5699
Somos Embaixadores da Happy Cow para Florianópolis SC


Embaixador
HappyCow.com

Somos filiados a:

   

Seja a mudança que você quer ver no mundo.

Mahatma Gandhi