Skip to main content

Beleza a favor da vida

modelosdebh.jpgA favor da vida e contra a crueldade com animais. Preocupadas com o extermínio de cães e gatos e com a superpopulação desses animais nas cidades, representantes da Fundação Lara Resende, de caráter ambiental, deram início, na sexta-feira, a um movimento em prol da esterilização. O primeiro passo da organização não-governamental, formada por modelos nacionais e internacionais, foi pedir o apoio da bancada estadual do Partido Verde. Na sede do PV, no Bairro Santa Efigênia, em Belo Horizonte, a presidente da entidade, Ana Lara Resende, entregou ao deputado Agostinho Patrús Filho um documento contendo as bases do Projeto Ético de Controle da Fauna Urbana. “Muitos municípios ainda usam o extermínio como forma de controle sanitário. Ele é ineficaz, caro e antiético”, afirmou Ana.

Um dos objetivos da fundação, criada em 2007 em São João del-Rei, na Região do Campo das Vertentes, é construir, em Belo Horizonte, uma clínica de esterilização para atendimento gratuito. As modelos se espelham na experiência bem sucedida da cidade argentina de Almirante Brown, que fica a 20 quilômetros de Buenos Aires. “Ali é feita a cirurgia mais rápida e barata que se tem notícia, pois dura, em média, de cinco a dez minutos. Dois veterinários, contratados pela prefeitura, fazem 70 esterilizações por dia, além de vacinações e vermifugações. A técnica usada é a do flanco, sem necessidade de pós-operatório”, informou a diretora institucional da fundação, Tatiana Giacoia.

“Queremos que Belo Horizonte saia na frente no país”, disse Tatiana, explicando que nenhuma capital brasileira tem uma política específica para esterilização dos animais. “A maneira como o poder público trata o assunto, via extermínio, com ações de captura e canis, é paliativa. Não resolve a causa do problema. Por isso, precisamos estimular a castração, a educação para a guarda responsável e a adoção dos cães e gatos”. Ela explicou que um casal de cães pode gerar em dez anos, direta e indiretamente, milhares de filhotes: “O problema é que, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), nunca se conseguiu eliminar 15% da população canina em qualquer parte do planeta”.

Preocupadas com a situação em BH, as integrantes da fundação pedem apoio da classe política para a construção da clínica. “Vai ser muito mais do que um centro de atendimento. Terá a característica de uma clínica-escola. Na capital, há em torno de 500 mil animais, sendo que são recolhidos, por semana, de 200 a 300 deles para extermínio. Para a esterilização começar a dar resultado, seria necessário a cirurgia em, no mínimo, 100 animais por dia, nas nove regionais de BH”, contou a diretora lembrando que, nessa campanha, a fundação conta com ajuda de modelos e de celebridades.


Audiência


Certo de que se trata de um problema de saúde pública, o deputado disse que vai conversar com o vice-prefeito de Belo Horizonte, Ronaldo Vasconcellos (PV) e ampliar o seu raio de ação. “Vou fazer um requerimento à comissão de meio ambiente da Assembléia Legislativa e solicitar uma audiência pública, com a participação de todos”, adiantou o parlamentar. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, a prefeitura está construindo dois centros de esterilização – um na Regional Noroeste e outro na Oeste. Atualmente, está em funcionamento, no Bairro São Bernardo, na Região Norte, do centro de controle de zoonoses.

Estiveram também presentes à reunião as modelos Luíza Narducci, Desirée Rugani, Rayana Bartholo, Rafaele Vizoli e Débora Gobatco, das agências Ford e Why.
 
Gustavo Werneck - Estado de Minas
Fonte: www.uai.com.br  
  • Criado por .
  • Acessos 8699