Skip to main content

É hora de controlar a população de cães e gatos na cidade

Prefeitura lançou programa de castração gratuita dos animais, para evitar ninhadas indesejáveis e doenças que possam ser transmitidas ao homem.

Ricardo Osman - 14/1/2009 - 21h32

controle-gato-2.jpgA Prefeitura está lançando um programa inédito de castração gratuita de cães e gatos de toda a cidade. Os objetivos são controlar a população dos animais, combater doenças transmitidas ao homem e evitar o abandono de ninhadas indesejadas.

O programa foi desenvolvido pelo Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) e a meta é castrar 4 mil animais (machos e fêmeas) por mês na Capital. O número é quase o dobro dos programas anteriores. Para isso, o prefeito Gilberto Kassab destinou verba de R$ 2 milhões para o ano de 2009.

"Vamos fazer um esforço expressivo para castrar cães e gatos, mas para o projeto ser bem-sucedido deve contar com a colaboração da população", disse o veterinário José Bráulio de Oliveira Gomes, assessor técnico do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de São Paulo. "Esta é uma medida de saúde pública que só traz benefícios aos animais."

Subordinado à Secretaria Municipal de Saúde, o CCZ vai centralizar as inscrições em sua sede, no bairro de Santana, nessa fase inicial do programa. Já as cirurgias serão realizadas por clínicas conveniadas que estão localizadas em várias regiões da cidade.

Na inscrição não é preciso levar o animal. A cirurgia será marcada em uma clínica particular conveniada, próxima ao endereço do dono.

Masao Goto Filho/e-SIM

 

"O cadastramento e a cirurgia são 100% gratuitos", reforçou Gomes.

"A iniciativa da Prefeitura merece ser elogiada, mas alguns pontos do projeto devem ser aperfeiçoados", disse a jornalista Dinorah Ereno, que é defensora da causa de cães e gatos abandonados na cidade de São Paulo. "A inscrição deve ser descentralizada por regiões, para facilitar a vida dos donos, e é preciso fazer maior divulgação do programa em locais públicos, como estações de metrô e escolas", completou.

Doenças – A veterinária Amélia Margarida de Oliveira, da empresa Veterinários na Estrada, observou que a castração expressiva de cães e gatos em grandes cidades evita a superpopulação dos animais e o risco de disseminação de doenças como a raiva e a leshimaniose. "O programa é um serviço essencial que deve se expandir a cada ano", disse Amélia Margarida. "Ninhadas indesejadas são abandonadas em avenidas e ruas, o que provoca também acidentes de carro e motos."

A cirurgia no macho e na fêmea, segundo Gomes, só traz benefícios. "O animal terá uma vida mais saudável, evitará fugir para as ruas e marcar o território", contou ele. "Mas donos de cães precisam superar preconceitos." Por ser considerada uma cirurgia simples, não haverá internação dos animais.

Campanhas – O objetivo da Prefeitura é difundir também o conceito de posse responsável entre os donos de cães. Muitos animais, sobretudo na periferia, não vivem em locais cercados, mas soltos nas ruas. O Centro vai manter os Mutirões de Castração realizados especificamente na periferia e pretende intensificar a campanha de doação de animais de rua, que se chama Adote Um Amigo. Para conhecer os animais, basta ir à sede do CCZ de segunda a sábado. São cerca de 500, já vacinados e castrados.

Mais informações podem ser obtidas no site http://portal.prefeitura.sp.gov.br/secretarias/saude/vigilancia_saude/ccz e no telefone (11) 2221-7645.

Fonte: Centro de Controle de Zoonoses 

  • Criado por .
  • Acessos 6444